Rankings

Uma Sucessão 100 Razão

Nota prévia: O texto que, abaixo, partilho, reflete uma imagem, feia, da matemática.

Reflete, igualmente, porquanto invoca, sem nomear, o concreto, uma imagem, feia, da ética, tomada numa perspetiva exigente.

Permitam-me, assim, que, antecipadamente, peça desculpa.

Sucedem-se, ano após ano, numa Progressão, Aritmética, as contas, as Médias, as tabelas e, as listas.

No Termo seguinte, identificam-se, sempre – os textos, as notas, as opiniões, as contradições e, as entrevistas.

São as melhores, as piores, os contextos, as habilitações, as teses, as conclusões, os Teoremas e, as Razões.

São as Médias, os Binómios, os Rankings e, as ilusões.

Estão na Moda, são transparentes, efetivos, verdadeiros e, não permitem confusões.

Atento, li a matriz, escutei as conversas, as alusões – são os Professores; os projetos; o compromisso; a excelência; os fotógrafos e, as classificações.

Fui ver. Sequenciei o ADN, estudei a Biologia – 9,75; fossilizada, com a Geologia, e questionei: E os Professores? E os projetos? E o compromisso?

Continuei, descendo, na escada de sequenciação, até ao 9.º ano, tendo atingido a 49(…).ª posição da Série da cadeia, de avaliação.

Voltei a questionar. E os Professores? (…).

Não. Para este teorema, não conheço demonstração.

Sucedem-se, ano após ano, as apresentações, dos Rankings, dos resultados, dos estudos, dos contextos, das opiniões, das contradições – numa repetição, legítima, que merece, a contribuição, humilde, das diferentes reflexões.

Estude-se o caso, olhe-se, a fundo, demonstre-se o Teorema, corrijam-se as “narrações”, mitiguem-se as ilusões, cumpram-se as obrigações.

Jorge Manuel Ventura

Professor


Observação 1: quando se olha, se repara, no Ranking, não se pode deixar de olhar, reparar, na comunidade. Quando se olha, se repara, no Ranking, não se pode deixar de olhar, reparar, na órbita, nas influências, nas forças que determinam os percursos.

Quando se olha, se repara, no Ranking, não se pode deixar de olhar para o Universo.

Nota: O texto, acima, poderia ter como título: uma Sucessão de equívocos.

Observação 2: Aconselho a leitura do texto, de opinião, que partilharei, subsequentemente, que permitirá ler, o presente, de modo integrado.

“ Entre todos os contratos pelos quais uma multidão de homens se religa numa sociedade (pactum sociale),o contrato que entre eles estabelece uma constituição civil (pactum unionis civilis) é de uma espécie tão peculiar que, embora tenha muito em comum, quanto à execução, com todos os outros (que visam a obtenção em comum de qualquer outro fim), se/distingue, no entanto, essencialmente de todos os outros no princípio da sua instituição (constitutionis civilis). A união de muitos homens em vista a um fim (comum) qualquer (que todos têm), encontra-se em todos os contratos de sociedade; mas a união dos mesmos homens que em si mesmos é um fim (que cada qual deve ter), por conseguinte, a união em toda a relação exterior dos homens em geral, que não podem deixar de se enredar em influência recíproca, é um dever incondicionado e primordial: uma tal união só pode encontrar-se numa sociedade enquanto ela radica num estado civil, isto é, constitui uma comunidade (Gemein Wese).

Immanuel Kant, A Paz Perpétua e Outros Opúsculos

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s